*Poesia Nossa de Cada Dia*

De fato há caminhos fechados
matizes perpendiculares desbragados.
Há palavras asfixiadas,
no nó da garganta esperançosa
que felizmente não se calam!
-em curvas de perplexidade-
Grande é a poesia que ilumina e interroga!

Miguel Eduardo- & Karinna*

No fim das águas, aberta a cascata o céu mede
Cúmplice náufrago dessa fome que me nutre os passos
No horizonte a poesia em sede como soluços
Na pétala desbragada do verso colho-me cada grito-
em concha de poema urgente-... que palpita!

Karinna* & Miguel Eduardo



terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

em mil chamas se reparte-



em mil chamas se reparte
corpo lúcido, cordel de fogo
luz esbatida- um verso grita-

em mil órbitas se reparte
a festa em teus olhos
estouro de estrelas- um céu pinta-

em mil letras se reparte
o poema que não te fiz
a palavra que não ousei
o beijo que não me quis...

Karinna*






2 comentários:

Miguel Eduardo Gonçalves disse...

A cor das letras cria imagens
E a poesia celebra a viagem
Partida sem regresso
Para o reino do encantado!

BjK
M

Karinna* disse...

De ti nutro-me
Cada letra, cada palavra
Seiva e sumo
A vida nos braços
Meus dedos borboleteiam
Versos outrora, sem rumo.

De ti, nutro-me, Poeta Formidável.
SE UM DIA eu pensei ser Poeta, é por tua causa. Tua Poesia suscita o que há de melhor em mim.

Mestre, meu mentor e amigo
Parceiro presente, agradeço-te
És um mágico presente.

BjM-
K*