*Poesia Nossa de Cada Dia*

De fato há caminhos fechados
matizes perpendiculares desbragados.
Há palavras asfixiadas,
no nó da garganta esperançosa
que felizmente não se calam!
-em curvas de perplexidade-
Grande é a poesia que ilumina e interroga!

Miguel Eduardo- & Karinna*

No fim das águas, aberta a cascata o céu mede
Cúmplice náufrago dessa fome que me nutre os passos
No horizonte a poesia em sede como soluços
Na pétala desbragada do verso colho-me cada grito-
em concha de poema urgente-... que palpita!

Karinna* & Miguel Eduardo



terça-feira, 4 de março de 2014



-emoções brilhando em mútuos pensamentos-
No ar puro que abana o vento
Ondeando a coragem preferida
Onde o tempo faz-se entendimento
De esquecer os próprios dias...
E nesse íntimo deserto
Uma voz cala e valida
E o silêncio é revelado
Preenchendo a nossa vida
-Harmonia que se inventa-

sábado, 1 de março de 2014

-que linguagem é mais sincera?-

 
 
-que linguagem é mais sincera?-

Há fonemas cerejas
Nas palavras que me deste
Há caligrafia de ouro
Nos versos que me fitam
Nesse dialogo puro
Nesse tom de sonho bonito

Há verdade desenhada
Na oratória sensível
Da tua íris que me abraça
Num poema sutil
Formatado em coração pedinte

Somos a prosa sincera
Declarada nas entrelinhas
De todas nossas estrelas
Nesse céu de sentimento
Onde os astros são amores
Suspiros doces tatuados

-emoções brilhando em mútuos pensamentos-


Karinna*