*Poesia Nossa de Cada Dia*

De fato há caminhos fechados
matizes perpendiculares desbragados.
Há palavras asfixiadas,
no nó da garganta esperançosa
que felizmente não se calam!
-em curvas de perplexidade-
Grande é a poesia que ilumina e interroga!

Miguel Eduardo- & Karinna*

No fim das águas, aberta a cascata o céu mede
Cúmplice náufrago dessa fome que me nutre os passos
No horizonte a poesia em sede como soluços
Na pétala desbragada do verso colho-me cada grito-
em concha de poema urgente-... que palpita!

Karinna* & Miguel Eduardo



terça-feira, 4 de março de 2014



-emoções brilhando em mútuos pensamentos-
No ar puro que abana o vento
Ondeando a coragem preferida
Onde o tempo faz-se entendimento
De esquecer os próprios dias...
E nesse íntimo deserto
Uma voz cala e valida
E o silêncio é revelado
Preenchendo a nossa vida
-Harmonia que se inventa-

2 comentários:

Karinna* disse...

*sempre um primor.
Beijoka*

Luiza De Marillac Bessa Luna Michel disse...

Blog especialíssimo dos poetas Miguel e Karinna*