*Poesia Nossa de Cada Dia*

De fato há caminhos fechados
matizes perpendiculares desbragados.
Há palavras asfixiadas,
no nó da garganta esperançosa
que felizmente não se calam!
-em curvas de perplexidade-
Grande é a poesia que ilumina e interroga!

Miguel Eduardo- & Karinna*

No fim das águas, aberta a cascata o céu mede
Cúmplice náufrago dessa fome que me nutre os passos
No horizonte a poesia em sede como soluços
Na pétala desbragada do verso colho-me cada grito-
em concha de poema urgente-... que palpita!

Karinna* & Miguel Eduardo



quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

voa pela eternidade-



voa pela eternidade
partícula febril
sonho desmemoriado
um amor como nunca se viu...

-rastro de estrelas num verso demorado-

estás sempre no mais longe
enxergo-te olhos do coração
amor meu, como Lua ambarina
escrevo-te em minhas próprias mãos...

-astros dançam poema inacabado-

talvez o nunca seja o sempre
e o talvez seja a certeza
só sei que sou nuvem
névoa sem mágoa
eternidade de nós enamorada...

Karinna*

2 comentários:

Veronica de Nazareth-Noic@ disse...

AmigAmada Luz...
Tu és e serás sempre um perfeito vool pela e
para a eternidade, especialmente através dos teus belíssimos versos, gravados nos quatro cantos d'alma nossa.
Lindo,querida. Lindo! Palavras-emoções que
Gritam! Amei,amiga!
Sinto muita Saudade de ti.
Bjo de Luz.
**Não consigo acessar de azuis e etc...Como e por onde consigo?**

Veronica de Nazareth-Noic@ disse...

Repito: um dos mais belos e eternos voos:
Tu, Karinna Amiga Luz!
Te Amo!
Saudade!!!
Muita Bênção, Amiga
Beijo de Luz.