*Poesia Nossa de Cada Dia*

De fato há caminhos fechados
matizes perpendiculares desbragados.
Há palavras asfixiadas,
no nó da garganta esperançosa
que felizmente não se calam!
-em curvas de perplexidade-
Grande é a poesia que ilumina e interroga!

Miguel Eduardo- & Karinna*

No fim das águas, aberta a cascata o céu mede
Cúmplice náufrago dessa fome que me nutre os passos
No horizonte a poesia em sede como soluços
Na pétala desbragada do verso colho-me cada grito-
em concha de poema urgente-... que palpita!

Karinna* & Miguel Eduardo



quarta-feira, 16 de março de 2011

maresia...*


















maresia...
das sombras todas
clara notícia
instiga amantes

sopro
de mar com sol
da noite ainda
infinito evola-se

e voz
de um mundo colorido
demarca o instantâneo
onde nascem as horas...

Miguel-



Foto de Ursula I Abresch

Um comentário:

Karinna* disse...

*Poesia para sorver no âmago, tatuar no peito, levar no olhar, ninar no tempo... belíssima.
Poetar contigo é aprendizado constante. Sou "alguma coisa nesse universo poético" por tua causa, meu mentor, Menestrel, Poeta formidável.
BjM-
K*

*imagem deslumbrante tbem.