*Poesia Nossa de Cada Dia*

De fato há caminhos fechados
matizes perpendiculares desbragados.
Há palavras asfixiadas,
no nó da garganta esperançosa
que felizmente não se calam!
-em curvas de perplexidade-
Grande é a poesia que ilumina e interroga!

Miguel Eduardo- & Karinna*

No fim das águas, aberta a cascata o céu mede
Cúmplice náufrago dessa fome que me nutre os passos
No horizonte a poesia em sede como soluços
Na pétala desbragada do verso colho-me cada grito-
em concha de poema urgente-... que palpita!

Karinna* & Miguel Eduardo



sábado, 18 de agosto de 2012

E ainda serei tu estrela*


E ainda serei tua estrela*

num amanhecer de reluzentes poemas*

nessa hora de vento

permanente embarque

sonhares de vida

um teatro instintivo

universal beleza da vida

em mil vozes que regem o coração

até o delírio

na impressão do poente

a doçura de um lilás...

Um buque de primaveras

a quebrar na praia de vidro

murmurando cascatas

balançando a luz pelos pés...

Que emana comovente

donde adentram nossos passos

como seivas numa flor

e depois coloridos de malva

e todos os matizes da alma

num cenário de sonho em puro azul

onipotente encanto...

Sublime é a palavra que nos lembra!



Miguel Eduardo Gonçalves





Um comentário:

Karinna* disse...

*Emocionas-me.
BjM-
K*