*Poesia Nossa de Cada Dia*

De fato há caminhos fechados
matizes perpendiculares desbragados.
Há palavras asfixiadas,
no nó da garganta esperançosa
que felizmente não se calam!
-em curvas de perplexidade-
Grande é a poesia que ilumina e interroga!

Miguel Eduardo- & Karinna*

No fim das águas, aberta a cascata o céu mede
Cúmplice náufrago dessa fome que me nutre os passos
No horizonte a poesia em sede como soluços
Na pétala desbragada do verso colho-me cada grito-
em concha de poema urgente-... que palpita!

Karinna* & Miguel Eduardo



segunda-feira, 4 de junho de 2012

-alegria de pressentimentos-



-alegria de pressentimentos-

nos entre(versos) que ditas
com essa boca promissora
guardo meu tempo
-e no sumir do sorriso me dou-
sou furor, fímbria de um sentimento...


pressinto-te
na luz oblíqua do teu poema
nas agruras do rompimento
nos pedaços da saudade
nas alegrias do descobrimento...


sou-te amor mesmo na ignorância
pois nem de saberes, nem de razões
meu peito anseia...

somente pressinto
que amorosa na eternidade
-mesmo que efêmera-
sou-te rasgo de alegria
e, ainda, serei tua estrela.

Karinna*

2 comentários:

Karinna* disse...

*Um pouco mais forte- tenho altos e baixos- vim deliciar-me com nosso espaço.
Anseio que estejas bem.
Parceiro Miguel, levo-te no peito para todo o sempre.
BjM-
K*

Miguel Eduardo Gonçalves disse...

Fico mais bem quando vens à tona, uma só luz clareia o poema, e não só aqui, nesta atmosfera de pensar a dois: TU-
Força, querida Karina, é o que espero que continues tendo, porque de fato, continuamos sendo. BjK*
M-