*Poesia Nossa de Cada Dia*

De fato há caminhos fechados
matizes perpendiculares desbragados.
Há palavras asfixiadas,
no nó da garganta esperançosa
que felizmente não se calam!
-em curvas de perplexidade-
Grande é a poesia que ilumina e interroga!

Miguel Eduardo- & Karinna*

No fim das águas, aberta a cascata o céu mede
Cúmplice náufrago dessa fome que me nutre os passos
No horizonte a poesia em sede como soluços
Na pétala desbragada do verso colho-me cada grito-
em concha de poema urgente-... que palpita!

Karinna* & Miguel Eduardo



domingo, 1 de agosto de 2010

Escrita na Língua dos Apaixonados*


Escrita na língua dos apaixonados
É uma noite suspirando eternidade
Num verso prenhe de luar, a claridade
Prateia a Poesia em escritos afagos

Corpo quente ameno e cálido
A noite abraça o recitar perfeito
Uma Lua desenha-se no peito
Um pranto de gozo soluça impávido

Noturnas letras, deuses e criaturas
Palavras sussurradas em ventos
A música se dá em amores sonolentos
Embalando tempo, modo e ternuras

Karinna*

Nenhum comentário: